#QueTalMúsica: Medicina, de Anitta

A rainha dos hits chegou no #QueTalMúsica: ANITTA.

E que mulher, viu?!

Anitta, que essa semana foi anunciada como couch na próxima temporada do The Voice México (La Voz México), lançou hoje de manhã o single “Medicina”.

Antes de qualquer coisa, vou pedir pra vocês assistirem o clipe porque está LINDO:

Como a gente organizou no post sobre Perro Fiel, de Shakira, vamos começar pelo título: o que significa “Medicina”?

Em espanhol, a palavra “Medicina” significa “a cura”, basicamente. Os remédios também podem ser chamados de “medicina”. Vamos bem até aqui, sim? A letra eu tirei do site Letras.

Como você bem viu no clipe, várias crianças do mundo inteiro participam. São diferentes povos e culturas e é sobre isso que se trata a música! Saca só o começo:

A mí no me importa que tú tengas plata
Aquí lo que importa es que tú te sepas mover
No te asustes si la ropa se levanta
Cuando el bajo se te meta por los pies
No te entiendo pero báilamelo lento
Que los cuerpos sí se saben entender
Todo el mundo con el mismo movimiento
Dale, una y otra vez

Por pensar em várias culturas e várias condições financeiras, Anitta diz que não importa se você (vamos pensar que ela tá se dirigindo as crianças) tem dinheiro (ou não o tem) porque o que realmente importa é que você saiba se mover. Não precisa achar estranho o som, a roupa se movendo e nem que a gente não fale o mesmo idioma, que a gente não se entenda pela língua porque o que importa é que os corpos se entendem e todo mundo segue o mesmo movimento. Várias vezes.

Lindão, né? Em um mundo intolerante com as diferenças culturais, é lindo falar isso pra geral ouvir! Eu fiquei só assim:

Continuando…

Uma coisa interessante da primeira parte é que ela fala “dale”, que é uma gíria típica da América Latina e serve para concordar! Significa algo como “ok”, “beleza”, “vamos” e o seu equivalente na Espanha é o “vale”. O refrão, abaixo, tem o “da-da-da…” cantado pelas crianças e o “dámelo otra vez” é uma maneira de dizer “vamo, de novo” e continuar a dança.

Da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da
Da-da-dámelo otra vez
Da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da

Abaixo, a gente continua com a letra. Esse >>pa'<< é uma maneira, no espanhol coloquial falado, de encurtar a palavra “para”.

Nos vamos pa’ la esquina
Las nalgas rebotando como gelatina
La música curando como medicina
Tú sigue bajando que después yo voy pa’ encima
Encima, encima-cima, cima, cima

Si te pegas por atrás
Yo no voy a decir na’
Todo el mundo es igual
Traca-traca, tra-tra-tra

Todo mundo vai pra a esquina, com as bundas (nádegas) rebolando e a música curando enquanto eu e você dançamos juntos (um descendo, outro subindo). Umas pessoas pela frente, outras por trás. Porque: TODO MUNDO É IGUAL. É massa dançar com a galera, né não?

Lembra do “dale” que eu falei ali em cima? Vai aparecer de novo na música:

Dale pa’bajo no más
No importa lo que digan los demás
A todos nos gusta cuando nos seducen
To’ el mundo se suelta más cuando no hay luces

“Vamos pra baixo, apenas (ou somente)”. ‘No más’ é uma expressão usada na América Latina equivalente a “apenas”, “só”, “somente”, em português. Esse >>To'<< é uma maneira, no espanhol coloquial falado, de encurtar a palavra “todo”. Ou seja, todo mundo gosta quando é seduzido e todo mundo se solta mais no escuro. E já que todo mundo curte mais as coisas com a luz apagada… APAGA!

Apágamela, a-ha, a-ha
Apágamela, a-ha, a-ha
Apágamela, a-ha, a-ha
Traca-traca, tra-tra-tra

Depois, vamos ter mais um refrão mas com uma frase acrescentada:

Da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da
Da-da-dámelo otra vez
Da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da
Dejémo la pena pa’ después
Da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da
Da-da-dámelo otra vez
Da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da-da

“Dejémo la pena pa’ después”, ou seja, vamos deixar de ter vergonha.

E foi nessa parte que o espanhol de Anitta me chamou mais atenção com a proximidade do espanhol da América Central. Por quê? Porque ela come, em várias partes da música, as “S” dos plurais e ainda aspira um pouco as vogais. É bem típico do espanhol centro americano e é muito presente em músicas de reggaetón (justamente porque vários cantores são dessa região).

Eu assisti a live E POSSO PROVAR:

 


E a nossa cantora falou duas palavras bem legais: platicar e padrísimo.

As duas são bem Americanas (pensando nas 3 Américas) e são bem características do espanhol do México.

A primeira, “platicar” significa conversar e tem como sinônimos as palavras “charlas”, “conversar” ou “hablar”. É informal.

A segunda, “padrísimo” vem de “padre” que não, nessa caso não significa “pai”, em português. Significa “muito legal”, “muito incrível” ou “muito foda”. É bem informal e a gente também pode usar “qué padre!” com o mesmo sentido mas, “padrísimo” é um nível acima.

Gostaram desse post? Deixa aqui nos comentários e manda pra todo mundoooooo!

Eu vou continuar cantando e dançando DA DA DA DA DA DA DA DÁMELO OTRA VEZ


Um comentário sobre “#QueTalMúsica: Medicina, de Anitta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s